Tarot Day – Luciana Onofre

Faz alguns meses eu me deparei com esse dia, e fiquei pensando o que poderia ser feito aqui no Brasil indo no mesmo rumo… Agora, faz poucas semanas Pietra criou elos com o grupo de pessoas que gestaram o conceito do Tarot Day =)

Assim sendo levaremos adiante o Tarot Day aqui no Brasil!
Mas algo assim somente “acontece” em grupo, em parceria, em círculos de pessoas que ecoam o conceito…

Continue lendo e comente no: Taroteando

Anúncios

O Tarô é muito mais! – Alethea

Aprender tarô não é apenas preocupar-se em atender amigos, familiares ou clientes, ter uma renda extra ou ter a vaidade de dizer a alguém o quê fazer…

Continue ledo e comente no Alameda das Fadas

Origens do Tarô – Alexsander Lepletier

A exata origem do Tarô permanece um mistério até hoje, apesar de seus 600 anos de história registrada. Já foi atribuída há vários povos antigos como egípcios, hebreus, ciganos, chineses, hindus mesmo que tenha sido criado para servir a diversão dos nobres.

Uma teoria muito popularizada durante o século XVIII e que chegou até o século XX, foi de que o Tarô surgiu no Egipto, onde seus sacerdotes, ao anteverem a queda da civilização, decidiram criar um meio de perpetuar seus conhecimentos, criando assim, um sistema simbólico e transformando-o num jogo, uma vez que no homem, o vício é mais absorvido que a virtude, garantindo assim sua sobrevivência através dos tempos.

Continue lendo: Caminhos do Tarô

Ler ou não ler para si mesmo – Pietra

Última postagem da série baseada no livro 78 degrees of wisdom, da Rachel Pollack.

Essa é uma dúvida que dá, sempre, muito pano para a manga!! Eu confesso que sim, eu leio para mim mesma. E sei que não se trata da atividade mais recomendada pela maioria dos tarólogos. Por que alguém não deveria fazer isso?

Continue lendo e comente em: Tarot: leitura e escrita

Tarô: mas afinal, o que é isto? – Anita La Fey

Olá, internauta!
Aposto que você já ouviu esta palavra em algum lugar antes de chegar até este blog… mas o que será que é isso? Um jogo de baralho? Um método de adivinhação?

O Tarô é um oráculo, uma ferramenta para aconselhamento. Sem rodeios, uma forma de auto-conhecimento e de previsão – mas não é àquela coisa que promete amor de volta em 3 dias, ou de “olha, vai aparecer seu príncipe daqui a um mês, loiro e num cavalo alado(???)”, mas vai além, traçando perspectivas a respeito de determinado assunto, verificando a concretização – ou não – de projetos, analisando como andam vários campos de sua vida, etc…

Continue lendo no: Blog da Anita

Tarô no Orkut – Vera Chrystina

É dramática a situação dos estudos de tarô dentro das comunidades do Orkut. O que eu percebo é que quando não existe o entendimento do funcionamento de um Arcano no seu sentido primordial e o respeito a um método adequado, essas Comunidades em vez de auxiliarem, trazem mais caos aos estudos de tarô.Como sempre, o problema não é o tarô, mas, as pessoas que fazem uso dele. Geralmente, quando um método não é compreendido, buscam-se variações do mesmo, são feitas somas ocultas e outros recursos que demonstram claramente a um tarólogo bem treinado, que alguma coisa está errada.

Continue lendo no: Jornal do Tarô

Cartas Invertidas – Emanuel

Uma reflexão sobre as Cartas Invertidas

Olá pessoal. Eu estive lendo sobre cartas para pensar na reflexão para 2010, e, curiosamente, me ative às cartas invertidas. Quem me motivou a isso foi a Kelma Mazziero, em uma postagem que, infelizmente, eu acabei perdendo no meu e-mail. Achando, posto o link.

Continue lendo no: Conversas Cartomânticas

Para pensar – Nei Naiff

Tarô, caminho do destino

Convenhamos, é fascinante olhar as imagens do tarô e desvendar os mistérios da vida. Ele possui uma estrutura simbólica tão peculiar (com múltiplas correntes de pensamento) que muitas vezes nem nos lembramos que ele faz parte da cartomancia.

Continue lendo no: Academia Virtual de Autoconhecimento

%d blogueiros gostam disto: