Direitos do Cliente – Gilberto Strapazon

Direitos do Cliente de Tarot

Observação importante: 

Os comentários adicionados a cada um dos itens tratam-se de minha opinião pessoal, baseada na minha vivência e atividades de mais de trinta anos. Os exemplos citados são baseados em fatos e situações reais. Nomes e quaisquer indicações de identificação foram omitidos para evitar de prejudicar ou denunciar quem seja.

*Só você tem o direito de decidir se e quando quiser uma leitura de tarot.

Se você acha que não precisa de conselhos, então está bem. A vida é sua. Se você quer ajuda, procure e encontrará. Não se ajuda quem não pediu.

Continue lendo no: Zenta – A Informática Esotérica

Como se Tornar Tarólogo (a) – Ronaldo

Muitos se perguntam: _ o que fazer para ser um (a) Tarólogo (a)? A resposta é muito simples. Talvez mais do que você possa imaginar.

Após uma conversa com uma colega interessada no assunto, refleti um pouco sobre as nuances acerca deste dom. Sim, pois para mim é um dom. Acredito que é possível dar orientações sobre a cartomancia e o Tarot, mas ensinar alguém; não. Não é exatamente assim.

Pois bem, passo agora a expor minhas considerações, lembrando que não é um conceito absoluto, mas tão somente minha maneira de enxergar os fatos.

Em um curso de Tarot, você poderá aprender lições sobre o significado das cartas, fundamentos ritualísticos e maneira de deitá-las na mesa. No entanto, mesmo após ter decorado o significado de todas as cartas, ter compreendido a maneira de colocá-las à mesa e realizado todos os rituais possíveis e imagináveis, ainda assim você não se sentirá uma pessoa preparada.

Continue lendo no: 9 Místicos

Tarô X Terapia – Gustavo

Afinal, qual é a diferença?

Com o avanço dos estudos – e dos interesses – pelo Tarô no Brasil, podemos perceber novas maneiras de trabalhar com as cartas. Propostas mais profundas, modernizadas e esclarecidas levando-nos a questionar as antigas informações que, equivocadamente, acabavam por nos deixar (também erroneamente) satisfeitos.

Leia mais deste post

Tarô não se aprende – Anita

Então, por que tantas obras sobre o Tarô??? Pra que estudarmos toda sua simbologia??? Qual o papel da intuição? É correto prevermos o futuro? Aliás, isto pode realmente ser feito? Como melhorar nossa vida através de simples cartas? Qual o melhor Tarô?

Leia mais deste post

Proteja sua escolha – Zoe

Outro dia, uma consulente que refletia sobre um relacionamento que tinha ido por água a baixo me disse de forma enfática: “Eu protejo as minhas escolhas”. A frase me pegou. Já tinha pensado sobre a questão, mas nunca tinha escutado a idéia expressa assim, de forma tão pontual.

Leia mais deste post

Os Cavaleiros – Emanuel

Olá pessoal. Na Men’s Health desse mês de agosto, encontrei uma matéria muito bacana e não poderia deixar de comentá-la. “Não vai ter para ninguém” foi escrita por Dagomir Marquezi e fala de quatro grandes conquistadores: Don Juan, Romeu Montague (ou Montéquio), Cyrano de Bergerac e Giacomo Casanova. O objetivo da matéria era apresentar a arte de seduzir desses quatro mestres… Como não posso ver quaternidades que já tento relacioná-las com a Cartomancia, dessa vez vi nesses quatro exemplos os quatro Cavaleiros.

Leia mais deste post

Qual Tarot? – Marcelo Bueno

Tarot de Marseille Camoin-Jodorowsky

Ouço muito esta pergunta e considero o questionamento legítimo para quem conhece pouco ou nada de Tarot:

“Qual Tarot você ensina?”

Respondo que uso o Marseille como referência básica, mas que cito outros baralhos quando as características específicas precisam ser evidenciadas, sem contar que os alunos levam diferentes baralhos para a sala de aula e faço uso do material disponível para  enriquecer o momento.

Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: